TV Câmara

Secretaria Municipal da Saúde presta contas referente ao 1º quadrimestre de 2019

quarta-feira, 29 Maio, 2019 - 17:43

Em Audiência Pública na Câmara de Vereadores, a Secretaria Municipal de Saúde apresentou os números e onde os recursos da arrecadação foram aplicados neste primeiro quadrimestre de 2019. Das ações realizadas neste ano, destacam-se a inauguração da UPA Continente, além de concurso público para a contratação de profissionais da área.

O Secretário de Saúde, Carlos Alberto Justo da Silva, explicou que a Prefeitura está fazendo um levantamento populacional para ter dados mais precisos: “Escuta-se muito nos bairros que precisamos de mais médicos, enfermeiros, mas precisamos de indicadores de qualidade para aumentar as equipes onde há uma necessidade maior”.

Presidindo a Audiência Pública, o vereador Renato Geske (PL) afirma que a prestação de contas do Executivo é uma ótima forma de ajudar a fiscalizar e ver como está sendo aplicado o dinheiro: “Hoje a fila de oftalmologia está praticamente zerada, são pacientes que estavam há anos na fila de espera para fazer a cirurgia”, afirma.

Fazem parte da Secretaria de Saúde, as vigilâncias sanitária e epidemiológica, além da DIBEA (Diretoria de Bem-Estar Animal), coleta e análise de água, entre outras áreas. Cada área da secretaria apresentou as ações planejadas para o ano, além das realizadas no primeiro trimestre.

Uma das questões destacadas também foi a necessidade de os acidentes de trânsito serem encarados dentro do foco de problema na Saúde Pública. Segundo o Secretário, os atendimentos de ortopedia gerados por batidas, em especial de motos, representam os custos mais altos na área: “A questão do trânsito é uma questão de Saúde Pública, por isso, nós da secretaria monitoramos junto às polícias militar e rodoviária os dados dos acidentes, montando estratégias para que sejam evitados”.

Além de realizar o perfil demográfico, de crescimento populacional, a gestão de custos vêm sendo feita por três anos consecutivos, para monitorar de forma comparativa os custos de cada uma das unidades de Saúde. A expectativa do Executivo é que nos próximos três meses as filas de endoscopia e colonoscopia também sejam zeradas.