TV Câmara

Frente Parlamentar da Saúde Mental debate problemas do CAPS 2 e necessidade de criação do CAPS 3

sexta-feira, 31 Maio, 2019 - 12:36

A Frente Parlamentar em Defesa da Saúde Mental da Câmara Municipal de Florianópolis, presidida pelo vereador Afrânio Boppré (PSOL), esteve reunida analisando os pontos que impedem hoje o bom funcionamento dos Centros de Atendimento Psicossocial da Capital, os CAPS. Em pauta, o impasse que envolve o CAPS 2, da Ponta do Coral, que fazia atendimento a pessoas com transtornos mentais graves. mas em fevereiro teve todos seus atendimentos transferidos da ilha para um espaço no bairro do estreito, onde agora 300 pacientes estão com dificuldade de se adaptar ao local.

“Houve uma transferência, no meu entender, abrupta, e isso trouxe inclusive a interrupção de alguns atendimentos. O Ministério Público está agindo para buscar essa mediação entre a Secretaria de Saúde do Estado e a prefeitura. Já existe projeto para a reforma, mas falta o contrato de cessão”, explicou o vereador Afrânio.

A presidente da associação dos usuários do CAPS 2 da Ponta do Coral, Carla de Oliveira, lembra que outro problema enfrentado para ampliar o atendimento público contra problemas de saúde mental é a necessidade de que o CAPS 3 seja viabilizado em um curto prazo. “A luta do CAPS 3 não é de agora, ela é muito longo. O atendimento é bem feito, o maior problema é o acesso. Nós, moradores do Norte da Ilha, temos hoje que ir até o Continente para conseguir ter esse acesso. Isso gera uma dificuldade de vários usuários”, afirma Carla.

A Prefeitura Municipal de Florianópolis (PMF), através do departamento de saúde mental, já estuda forma de resolver o impasse do CAPS 2, visto que a casa utilizada na Ponta do Coral pertence ao governo do estado e estava cedida ao município. O atendimento foi interrompido após a cessão da área pelo governo estadual. “A gente já tem tudo pronto na chefia do nosso departamento de obras. Vamos iniciar essa obra assim que conseguirmos a cedência do terreno”, afirmou Júlia Maria de Souza, chefe do departamento de saúde mental da PMF.

Presente na reunião, o representante do Ministério da Saúde em Santa Catarina, Rogério Mendes Ribeiro, garantiu que o governo federal busca soluções para resolver o problema dos CAPS de Florianópolis. “O que eu garanto para vocês é que você vão encontrar todo o apoio necessário na superintendência (do Ministério da Saúde)”, afirmou.