TV Câmara

Enquete do site da Câmara de Vereadores de Florianópolis é vítima de votos fraudados

quinta-feira, 12 Dezembro, 2019 - 17:03

A Câmara de Vereadores de Florianópolis recentemente incluiu o modelo de enquete, como uma das maneiras para o cidadão interagir e conhecer os projetos que circulam na casa legislativa. Uma das primeiras matérias a passar pela novidade foi o Projeto de Lei Complementar de N° 1626/2017, de autoria da Vereadora Maria da Graça, que propõe a proibição de fogos de artifício de alto estampido, para a preservação das pessoas áudios sensíveis: idosos, crianças, autistas, além de animais domésticos e silvestres.

Os votos favoráveis ao PLC mantiveram uma distância de mais de 4 mil votos em relação aos votos contrários do dia 21 de novembro a 7 de dezembro. Mas, nos dias 8 e 9, houve um pico contra o Projeto de Lei, despertando a suspeita de anormalidade. Para compreender a situação, foi solicitada pela Vereadora Maria da Graça uma auditoria junto à equipe técnica da Câmara de Vereadores, que identificou 4464 votos fraudados, restando apenas 336 válidos, do total de votos contrários. Na imagem, você confere o resultado final auditado, apenas com os emails válidos votantes.

A fraude foi feita de diversas maneiras: Um dos e-mails tentou votar 1500 vezes, porém não foi contabilizado, por ser apenas permitido o cadastro de um e-mail por voto; utilizaram e-mails comerciais dos EUA, Inglaterra e Rússia, para prejudicar o PLC a todo custo; Não satisfeitos, tentaram burlar o sistema, com e-mails fake, exemplo: 001@gmail.com, 0002@gmail.com e assim sucessivamente.

"Os motivos para tal movimento antiético estão sendo cuidadosamente investigados, para futuros esclarecimentos. Mas, a boa notícia é que ficou evidente o desejo dos cidadãos, que contribuíram com 4948 votos a favor do PLC Nº1626/2017, que pretende zelar e respeitar tanto os grupos áudio sensíveis, como permitir as comemorações de maneira saudável, sem perturbar os demais, com brilhantes e moderados fogos de artifício", afirma a vereadora.

Nova camada de segurança na enquete

Devido às tentativas de fraude, as enquetes da CMF passarão a ter mais uma camada de segurança. A pessoa será obrigada a confirmar o voto em um email que receberá na sua caixa de entrada logo após responder a enquete, como forma de garantir a veracidade do contato informado. A medida segue o mesmo modelo do Senado Federal. A Câmara buscou deixar o processo menos burocrático, mas a tentativa de corromper o resultado obriga a adição dessa nova camada de segurança para as consultas populares.

A enquente do PLC N° 1626/2017 foi a primeira realizada no novo site da CMF. Mesmo após a remoção dos votos fraudados, o total de 5284 opiniões registradas bate o recorde de participação popular. A segunda mais votada, realizada no site antigo, tinha menos da metade dos votos registrados na enquete que perguntou sobre a proibição de fogos de artifício barulhentos.

Veja o resultado final na página de enquetes do site da CMF