TV Câmara

Após calote da iniciativa privada, Afrânio propõe municipalizar Zona Azul

O vereador Afrânio Boppré (PSOL) sugeriu ao secretário municipal de Mobilidade Urbana, Michel Mittmann, que considere a possibilidade de municipalizar o serviço de estacionamento rotativo (Zona Azul) em Florianópolis. O encontro ocorreu durante uma reunião da Comissão de Trabalho, Legislação Social e Serviço Público nesta segunda-feira (1º/07).

Os vereadores debatiam a dívida da empresa Dom Parking, concessionária do serviço de zona azul. Segundo cálculos da Prefeitura, a empresa deixou de pagar, ao longo dos anos, mais de R$ 18 milhões para o município. As irregularidades no contrato foram parar na Justiça. Um grupo de vereadores também quer investigar o caso em uma Comissão Parlamentar de Inquérito.

Desde que o contrato com a Dom Parking foi celebrado, em 2013, a empresa deveria ter repassado pouco mais de R$ 21 milhões para a cidade. Porém, 85% desse recurso não foi pago. A informação é do secretário-adjunto de mobilidade, Marcelo Silva.

Calote

“Eu queria dizer ao secretário, como sugestão, antes de discutir o modelo do contrato, sobre o futuro dele, se será fixo ou se será percentual, antes de qualquer debate sobre isso, que se faça um estudo sobre a oportunidade de se deixar na mão de uma estrutura pública”, argumentou o vereador. “Por ocasião da privatização, que defendiam como único modelo eficiente e eficaz, hoje estamos percebendo, na verdade, um assalto aos cofres públicos na ordem de 18 milhões. Então que se faça uma avaliação sobre se não seria mais adequado deixar nas mãos da Comcap”, propôs o vereador.

De acordo com reportagem do jornal Notícias do Dia, a cidade conta com 5.540 vagas de estacionamento rotativo. Se a taxa de utilização do serviço for igual a 100%, a Zona Azul chega a um potencial máximo de arrecadação de R$ 2,5 milhões mensais. No contrato com a Dom Parking, a Prefeitura deveria receber apenas R$ 400 mil mensais. mas nem mesmo esses valores foram pagos pela empresa ao município.